Manjericão: aroma, sabor e fitoterapia no paisagismo

As plantas aromáticas possuem propriedades medicinais, uso cosmético e culinário. A família botânica Lamiaceae destaca-se por possuir várias espécies aromáticas como tomilho, hortelã, orégano, alecrim e manjericão. Hoje vamos falar sobre o manjericão, uma planta aromática bastante utilizada no paisagismo.
Há mais ou menos um ano, comprei algumas mudas e as plantei num vaso. Elas cresceram e viraram sub-arbustos lindos e vigorosos que enfeitam um cantinho da minha varanda e me fornecem folhas frescas para preparar pesto ou temperar molhos e pizzas.
manjericão Considero uma planta bastante fácil de cuidar; porém, observo que muitas pessoas esbarram em algumas dificuldades.
Algumas práticas são importantes de serem observadas, pois reduzem bastante esta dificuldade. Uma delas é fazer regas periódicas, mantendo sempre o solo úmido. O estresse hídrico estimula a produção de flores e, uma vez que a planta produz sementes, ela encerra seu ciclo e morre. A segunda dica é retirar sempre as florações que surgem antes que produzam sementes. São lindas as flores do manjericão, eu concordo. Uma vez uma amiga me disse que prefere deixá-los florescer e enfeitar a casa. Já eu, prefiro mantê-los vivos, me fornecendo suas folhas que me são mais úteis.
O manjericão é uma planta originária da Ásia e de ocorrência sub-espontânea no Brasil. As espécies de manjericão de maior importância são: Ocimum gratissimum, Ocimum basilicum, Ocimum tenuiflorum e Ocimum selloi Benth. Existem variações quanto ao porte, formato da copa, tamanho e coloração das folhas. A composição química do óleo essencial também varia entre as espécies e interfere diretamente no aroma e nas propriedades medicinais. Com relação ao aroma, por exemplo, os manjericões podem ser classificados em limão, doce, cinamato ou canela, anis, cânfora e cravo.
A Embrapa fornece documentos em sua página sobre o cultivo de diversas culturas elaborados por seus pesquisadores. Informações sobre o cultivo e utilização do manjericão  estão disponíveis no endereço eletrônico https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/900892/1/DOC11004.pdf. Abaixo, um breve resumo  das espécies de manjericão de maior importância:

Foto. http://howtogrowbasil.com

Ocimum gratissimum, L.
Nome comum: alfavaca cravo
Aroma forte e agradável que lembra o cravo-da-índia. As folhas possuem bordas dentadas de 4 cm à 8 cm de comprimento. As flores são pequenas e de coloração roxo-pálidas (MATOS, 2000).

Ocimum selloi, Benth.
Nomes comuns: alfavaquinha, alfavaca cheiro de anis.
Subarbusto perene, aromático, ereto, ramificado, de 40 cm–80 cm de altura, nativo do sul do Brasil. Suas folhas de 4 cm–7 cm de comprimento, com aroma semelhante ao da essência de anis. As flores são pequenas e de cor branca (PANIZZA, 1997).

Ocimum basilicum, L. (cultivar basilicão)
Nomes comuns: manjericão toscano, manjericão italiano, basilicão. Planta vigorosa, folhosa e caule bem ramificado. Atinge de 40 cm a 50 cm de altura. As folhas são grandes, de cor verde clara quando a planta é jovem e verde mediano quando adulta. As folhas são muito aromáticas (MATOS, 2002).

Ocimum basilicum, L.
Nomes comuns: manjericão branco, alfavaca, alfavaca-doce, manjericão-doce, alfavaca-d’américa, erva-real, basílico-grande, manjericão-de-folha-larga, alfavaca-cheirosa. Subarbusto aromático, anual, ereto, muito ramificado, de 30 cm–60 cm de altura, muito cultivado em quase todo o Brasil (Figura 6). As flores são pequenas, aromáticas e esbranquiçadas (MATOS, 2002).

Ocimum tenuiflorum, L.
Nomes comuns: alfavaca da Índia, manjericão santo.
É um pequeno arbusto anual, com folhas pequenas, cheiro forte e agradável, flores de coloração purpúrea e sementes muito pequenas.

Imagem1

Para o plantio é importante utilizar sementes ou mudas de boa qualidade. Lembrando que  as regas devem ser periódicas e as florações devem ser retiradas para aumentar o número de folhas e o ciclo da planta!
Um solo bem drenado também é importante para que a planta se desenvolva bem. No caso de plantio em vasos, a boa drenagem evita o apodrecimento da raiz.

Imagem2

Método de propagação por estaquia:

Este método é muito simples e consiste no plantio de uma parte da planta (caule, ramos ou folhas) para a geração de uma nova planta. As novas plantas geradas crescem mais rápido e sua floração também é precoce!
Com auxílio de uma tesoura, corte ramos de aproximadamente 10cm. Retire o excesso de folhas e coloque-os em meio úmido (copo com água ou em substrato umedecido). De preferência, troque a água do copo todos os dias. Dentro de 10 a 15 dias as estacas emitirão raízes.

estaquia

Foto. http://revistacasaejardim.globo.com

Plantio em vaso:

(1) Vaso impermeabilizado e com furo no fundo, terra adubada, argila expandida e areia. (2) A argila deve ser colocada no fundo do vaso para conter a terra e evitar o entupimento do furo. (3) A areia é posta sobre a argila expandida. O material filtra a água, como a manta de poliéster, mas sai mais em conta. (4) Por fim, tire a espécie da embalagem plástica, centralize-a no vaso e complete com terra. Regue-a para assentá-la e, se preciso, acrescente mais terra. (Fonte: http://revistacasaejardim.globo.com)

Recomendo muito o cultivo de manjericão, pois além da facilidade em cultivar, o jardim ficará sempre enfeitado e perfumado fornecendo folhas que podem ser utilizadas no preparo de pratos deliciosos.

Receitas:

culinaria

collage22Receita de pesto:
Retire as folhas limpas dos ramos e coloque-as no liquidificador.
Acrescente azeite e bata. A quantidade de azeite deve ser suficiente para que a mistura fique com a consistência pastosa. Acrescente castanhas-do-pará, alho e queijo parmesão triturados à mistura.
Caso deseje congelar, coloque a mistura de manjericão com azeite em uma forma de gelo e leve ao freezer. Assim, você poderá utilizar os tabletes de acordo com a sua necessidade. Descongele os tabletes e acrescente o alho, as castanhas e queijo ralado triturados.

Foto. http://cybercook.com.br

Receita de Caipirinha de saquê com limão e manjericão:
Ingredientes:
1 unidade(s) de limão
1 ramo(s) de manjericão
2 dose(s) de saquê
1 colher(es) (sopa) de açúcar
Coloque o manjericão no fundo do copo, junto com o limão e açúcar e macere. Em seguida, coloque o saquê e mexa com a colher até diluir o açúcar. Complete o copo com o gelo moído.

Bibliografia e sites consultados:

Foto de capa: http://www.calusnefarms.com.br
http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/42208/1/DOC11004.pdf
MATOS, F. J. A. Farmácias vivas: sistema de utilização de plantas medicinais projetado para pequenas comunidades. 4. ed. rev. ampl. Fortaleza: Editora UFC, 2002. 365 p.
FERNANDES, P.C.; FACANALI, R.; TEIXEIRA, J.P.F.; FURLANI, P.R.; MARQUES, M.O.M. Cultivo de manjericão em hidroponia e em diferentes substratos sob ambiente protegido. Horticultura Brasileira, BrasÌlia, v.22, n.2, p.260-264, abril-junho 2004.
MATOS, F. J. A. Plantas medicinais- guia de seleção e emprego de plantas usadas em fitoterapia no Nordeste do Brasil. Fortaleza: Imprensa Universitária/UFC, 2000. 344 p.
MORALES, M. R.; SIMON, J. E. ‘Sweet Dani’: a new culinary and ornamental lemon basil. HortScience, v. 32, n.1, p.148-149, 1997.
NOLASCO, F. Deficiências nutricionais em manjericão (Ocimum spp.) sob hidroponia. 1996. 19 f. Monografia (Graduação). Universidade Federal de Viçosa, Viçosa-MG.
PANIZZA, S. Plantas que curam: cheiro de mato – São Paulo: IBRASA, 1997.